Umuarama

SOCIAL

Em meio a crise do coronavírus, surgem pessoas que se doam para a sociedade

26/05/2020 06H29

Umuarama – Se é em momentos de crise e dor que surge a esperança no ser humano, a pandemia impressa pelo coronavírus, transmissor da Covid-19, vem ressaltando a empatia de alguns umuaramenses. É o caso da professora Joana Oliva Roman Miiller e amigos, que estão produzindo sabão e distribuindo para pessoas em situação de vulnerabilidade e instituições visando a higienização e o combate ao vírus que já matou mais de 22 mil pessoas.

A ação começou tímida, com a vizinhança do bairro onde Joana Miiller mora. A ideia era recolher o óleo usado da comunidade para fazer sabão e doar para moradores de rua. Com isso, ajudar na prevenção contra o coronavírus em Umuarama, como também, na preservação do meio ambiente. “A ideia inicial era algo pequeno, para atender os moradores de rua em situação de vulnerabilidade. Era uma campanha com as vizinhas”, disse Joana.

Entretanto, em tempos de rede social, a ação do sabão das vizinhas para os moradores de rua foi abraçado por mais pessoas. “Acabei comentando com um amigo em um grupo de debate na rede social, e acabou que a coisa tomou uma proporção gigantesca. Hoje já produzimos mais de 800 barras de sabão e 180 litros de sabão líquido. Agora, além de entregar para os moradores de rua, estamos levando para as instituições que levam serviços para essa comunidade em vulnerabilidade”, explicou a professora.

A campanha conta com ajuda dos moradores dos Conjunto Patrimônio Umuarama, Sol Nascente, APP Sindicato Umuarama, Umuarama em Debate e Comunidade em geral.

FAZ BEM AO CORAÇÃO

As voluntárias fazem o sabão nos fins de semana e além da produção, também embalam e higienizam o produto antes de serem entregues. “É cansativo, no fim do dia seu corpo está todo doendo. Mas quando vejo que está pronto e para que será usado, me dá uma felicidade tão grande de poder ajudar a nossa comunidade”, exclamou Joana Miiller.

ONDE FOI DOADO

Além dos moradores de rua, o sabão já foi doado para Casa da Sopa, Casa União pela Vida, Abrigo Tia Lili, Apromo, Apadevi, Lar São Vicente de Paula, Missão da Misericórdia entre outras.

Segundo a coordenadora da Apromo, Angelica Ramos, a doação do sabão significou uma economia de 40% na despesa com o material de higiene disponibilizado na instituição. “Hoje estamos com 30 albergados e todos recebem um sabão para higiene, além do que utilizamos para lavar roupas e roubas de cama. Foi muito bem-vindo essa doação”, enfatizou.

PRECISA-SE DE SODA

Muitas doações de óleo estão chegando para a produção do sabão comunitário, que é feito em barras e líquido, porém as vizinhas idealizadoras do projeto estão precisando de soda. “Estão chegando doação de óleo de toda parte, mas estamos precisando de soda. Hoje um litro de soda custa cerca de R$ 8,00. Quem quiser doar é só mandar mensagem no WhatsApp do professor Miiller: 44 9931-0232”, finalizou.