Umuarama

EMOCIONANTE

Ele perdeu a esposa, casa, emprego e agora vive na rua com seu fiel amigo

03/06/2019 10H30

A relação entre os dois é algo a ser admirado, basta ficar alguns minutos para perceber a dedicação de ambos

Umuarama – Você já deve ter cruzado com Elair Alvez de Souza, de 56 anos, pelas portas dos supermercados de Umuarama. Ele é morador de rua e pede esmola com seu amigo inseparável Pretinho, um cachorro vira-lata gente boa e muito amigável. A figura do homem e seu cachorro pedindo é uma cena complexa e quem não se perguntou: Por que esse senhor não trabalha? Por isso o Umuarama Ilustrado vai contar um pouco da história do agora sem teto, mas que um dia já teve uma vida dita normal.

Pintor de profissão, Elair Alvez de Souza tem marcado muito bem em sua mente o dia que seu martírio começou. Segundo ele, dois meses antes do falecimento da sua esposa. Neste período Souza sofreu o primeiro acidente vascular cerebral (AVC). Mas a história do nosso personagem também se mistura com o sofrimento da sua companheira, que tinha a válvula do coração dilatada, ou possivelmente, miocardiopatia dilatada.

“Eu sofria muito vendo ela doente. O coração dela inchava e vivia noite e dia no médico. Era muito triste, por isso não tivemos filhos. Esse sofrimento me fez vender nossa casa para buscar um tratamento melhor e pago, mas não teve jeito, ela faleceu. Fiquei sozinho com o Pretinho e foi quando tive mais dois derrames. Agora estou impossibilitado de trabalhar, pois não consigo levantar meus braços e tenho dificuldade para andar”, contou Elair com nó na garganta.

Estar mentalmente abalado pelo sofrimento da vida também proporcionou outros males para Souza, como pressão alta, colesterol desregulado e diabetes. Segundo ele, todos os dias toma 11 comprimidos. Mas o declínio social não parou por aí, o umuaramense também teve seu auxílio-doença cancelado, piorando a situação.

FIDELIDADE E AMOR

Ao longo dessa história podemos nos questionar, por que Elair não vai para um abrigo, ou qualquer outra entidade de assistência do município? A resposta é simples: ele é fiel e ama seu companheiro, o cachorro Pretinho. “As entidades não aceitam o Pretinho, mas ele é meu companheiro há nove anos, é meu único amigo. Meu cachorrinho me dá esperança e não vou deixar meu amiguinho sozinho”, desabafou.

A relação entre os dois é algo a ser admirado, basta ficar alguns minutos para perceber a dedicação de ambos. Pretinho parece que sorri quando Elair conversa com ele e de pronto se aproxima de seu amigo para lhe dar carinho e receber. “O dinheiro que consigo sempre separo para a ração do Pretinho e os cuidados dele”.

UM ÚNICO DESEJO

Despejado da sua última residência, pois não tinha dinheiro para pagar aluguel, o umuaramense só queria conseguir seu auxílio-doença para pagar um quarto, onde pudesse abrigar ele e o cachorro do frio e chuva. “Eu morava em uma casa, mas sem dinheiro para pagar aluguel tive que sair. Dei minha geladeira para quitar a dívida e vim para rua, pois os abrigos não aceitam o Pretinho. Tudo que precisava na vida era um quartinho para abrigar o Pretinho e eu do frio e da chuva”, desabafou.

AJUDA

Questionamentos respondidos ou não, mas se você chegou até o fim dessa história e quem quiser ajudar Elair Alvez de Souza e amigo o cachorro Pretinho é fácil encontrar eles. Basta percorrer os supermercados mais antigos de Umuarama, que ele estará sentado no chão com seu fiel companheiro pedindo esmola.