Umuarama

ARTIGO

É importante ter um Médico Veterinário Anestesista em uma cirurgia?

28/09/2020 10H19

Por: Gabriela Lazari, médica veterinária com especialização em Anestesiologia

Não é incomum nossos animais precisarem passar por alguma cirurgia e sendo mais ou menos complexa, o medo frequente é: a anestesia. A fim de garantir maior segurança durante os procedimentos, é necessário aos tutores entenderem a importância e exigirem o acompanhamento de um anestesiologista veterinário especializado. Embora todo procedimento cirúrgico/anestésico tenha riscos de complicações, estes são bastante minimizados quando escolhidos profissionais capacitados em suas áreas específicas.

O médico veterinário anestesista é o profissional especializado que acompanha seu animalzinho no período em que ele está mais vulnerável. Além de deixa-lo imóvel para que o cirurgião realize seu trabalho, ele é responsável por garantir que o coração bata no ritmo e quantidade adequada, que a pressão arterial se mantenha em níveis aceitáveis, que não sinta dor, e até que respire por ele caso ele pare de respirar.

A anestesia começa na avaliação prévia de exames, condição física do paciente e qual procedimento cirúrgico ele será submetido, para que então o anestesista defina qual técnica, ou combinação de técnicas anestésicas que se encaixam àquele indivíduo, e quais outros medicamentos complementares serão necessários.

A anestesia geral inalatória ou intravenosa é um processo contínuo e que é frequentemente ajustado, não apenas uma “injeção que faça com ele durma”. Para tal, o profissional anestesista acompanha todo o procedimento avaliando parâmetros de frequência cardíaca, respiratória, pressão arterial, oxigenação, temperatura, qualidade da respiração, entre outros por meio de equipamentos que o auxiliam. Estes parâmetros associados a reflexos e estado físico do paciente determinam se ele precisa aprofundar ou superficializar a anestesia.

Esse acompanhamento constante permite que o anestesiologista intervenha em possíveis intercorrências utilizando medicamentos específicos a cada situação. O momento certo para o uso e conhecimento sobre todos esses medicamentos são alguns dos diferenciais de se ter um profissional como este cuidando do seu animal.

Compete também ao anestesiologista cuidar da dor. O anestésico geral isolado faz apenas com que o bichinho não perceba a dor por estar “dormindo”, mas o estímulo acontece. Se não controlado, o animal pode ter muita dor no pós-operatório no momento em que acordar, por conta disso, técnicas de anestesia local ou administração contínua de analgésicos normalmente são associadas pelo anestesista.

O anestesiologista utiliza em média 10 a 15 medicações diferentes no intraoperatório a fim de garantir que cirurgião possa trabalhar com tranquilidade e para que o paciente desperte da anestesia sem dor, confortável e com a integridade de suas funções orgânicas. É um profissional altamente qualificado para cuidar da vida e da segurança do paciente durante toda cirurgia, desde a avaliação pré-anestésica (com esclarecimento de dúvidas) até o acompanhamento pós-cirúrgico.