Cotidiano

OPERAÇÃO CHECKER

Dois umuaramenses são presos acusados de fraudar auxílio emergencial

06/04/2021 17H13

A Operação Checker foi deflagrada hoje pela manhã em Umuarama (foto divulgação Polícia Federal)

Dois moradores de Umuarama foram presos preventivamente por agentes da Polícia Federal de Guaíra, no início da manhã desta terça-feira (6), acusados de fraudar o recebimento do Auxílio Emergencial, programa do Governo Federal lançado durante a pandemia da covid19 que garante parcelas em dinheiro para autônomos e profissionais que perderam o emprego ou a renda no último ano.

Auxílio Emergencial

Coincidentemente também a partir da mesma data é que os beneficiados da segunda etapa do programa puderam começar a movimentar os valores em conta.

Busca e apreensão

Na casa dos suspeitos em Umuarama, a PF ainda realizou a apreensão de aparelhos celulares, notebooks, HD’s e pendrives que devem ser analisados para o aprofundamento da investigação que está na fase inicial. A estimativa é que a fraude passe de R$ 1 milhão em prejuízo a beneficiários e ao Governo Federal e que haja a possibilidade do envolvimento de outras pessoas no golpe.

O prejuízo

Segundo o delegado-chefe da Delegacia da Polícia Federal em Guaíra, Mário Leal, as investigações estão em fase inicial e ainda não se sabe o total dos prejuízos ou o tempo de atuação dos criminosos.

“Com base nos dados preliminares já obtidos, estimamos em pelo menos 3 meses”. As investigações, que seguem em segredo de justiça, devem ser concluídas em até 15 dias.

Ainda segundo o delegado-chefe ainda não é possível saber se as vítimas são de Umuarama e região ou se o golpe era aplicado no âmbito nacional ou a quantidade exata de beneficiários lesados.

Checker

Segundo a Polícia Federal para efetuarem as fraudes, os investigados faziam uso de programas de computador geradores de CPFs e softwares chamados “checkers” que indicavam os titulares aptos a receberem o Auxílio Emergencial. Ma prática esses programas burlaram a segurança de aplicativos da Caixa Econômica Federal e deixaram centenas de pessoas sem receber o benefício.

O saque

Segundo a Polícia Federal os saques eram realizados diretamente no caixa eletrônico, na agência bancária, ou então, quando em valores maiores, por meio de transferência através do sistema PIX.

O início

Segundo o delegado Mário Leal a investigação começou no último dia 20 de março, quando um homem de 22 anos foi preso em flagrante pela Polícia Militar quando realizava a consulta em contas bancárias de terceiros através de uma lista de Cadastro de Pessoa Física (CPF), em um caixa eletrônico no interior da agência da Caixa Econômica Federal (CEF), na avenida Presidente Castelo Branco, em Umuarama. O suspeito foi detido e encaminhado para a delegacia da Polícia Federal, em Guaíra, onde permanece recolhido.

A operação deflagrada nesta terça-feira é resultado dessa primeira prisão. Os nomes dos detidos em Umuarama não foi divulgado.

O crime

Segundo o delegado federal Pedro Henrique Turin de Oliveira, a princípio os suspeitos devem responder pelo crime de furto mediante fraude com pena de dois a oito anos de prisão.

O cabeça

Segundo a Polícia Federal o líder do esquema possui passagens por outros crimes similares, coordenando golpes anteriores na região de Umuarama envolvendo falsificação de documentos e atuava no saque fraudulento do Auxílio Emergencial, com a utilização de softwares desenvolvidos por hackers, desde o início do programa.

A operação

A operação foi batizada de “Checker” em referência ao programa utilizado pelos investigados para obter acesso aos CPFs com potencial saldo em conta vinculada ao Auxílio Emergencial. Na ação foram cumpridos quatro mandados, sendo dois de busca e apreensão e dois de prisão preventiva expedidos pela Vara Federal de Umuarama.

Os investigados e todo o material apreendido foi levado para a Delegacia da Polícia Federal em Guaíra (foto divulgação PF)