Umuarama

COVID19

Decreto estadual é prorrogado até quarta-feira em todo o Estado

05/03/2021 17H59

Governador Ratinho Júnior e o secretário de Estado da Saúde Beto Preto

O decreto estadual que mantém apenas o comércio considerado essencial aberto será prorrogado por mais dois dias a partir da próxima segunda-feira (8). Com isso, o comércio em geral e escolas particulares vão poder voltar a funcionar no próximo dia 10, quarta-feira, com adoção de medidas restritivas. Oficialmente o lockdown termina às 5 horas do dia 10.

O comércio poderá abrir as portas de segunda a sexta-feira entre às 10 e 17 horas. Nos fins de semana a orientação é que tudo fique fechado, mas cada município poderá regular como será essa restrição, principalmente para cidades com mais de 50 mil habitantes, como é o caso de Umuarama.

Já os estudantes da rede privada de ensino poderão voltar para os bancos escolares no sistema híbrido, com no máximo 30% de ocupação e no sistema híbrido.

Na rede pública a medida passa a valer a partir do próximo dia 15. A responsabilidade pelo envio dos filhos às escolas será dos pais. Quem não quiser poderá continuar assistindo as aulas em casa, no sistema online.

O toque de recolher e a proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20 horas continuam mantidos.

As medidas foram anunciadas o fim da tarde desta sexta-feira (5) pelo governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Júnior, durante coletiva a imprensa transmitida pelas redes sociais.

MEDIDAS

Na entrevista o governador também anunciou a liberação de R$ 30 milhões a juros subsidiados destinados a micro e pequenos empresários através do Banco da Mulher e do Fomento Paraná, além de outros R$ 10 milhões para empreendedores informais e MEIs.

Já para o setor o turismo, como serviços e hotelaria foi anunciada a destinação de R$ 120 milhões para serem emprestados a juros subsidiados para serem usados como capital de giro. Ainda segundo Ratinho Júnior, os 40 mil empreendedores que emprestaram dinheiro da Fomento Paraná em 2020 terão o pagamento das parcelas suspensas por dois meses.

Copel e Sanepar também vão parcelar débitos do comércio, de prestadores de serviços e de famílias de baixa renda em até 60 meses. Também está suspenso o corte de energia e água, segundo o governador.