Cotidiano

Violência

Criança vítima de estupro teve a morte confirmada neste sábado

29/09/2018 14H46

O menino de quatro anos de idade, morador de Cianorte, que sofreu abuso sexual na quinta-feira passada e foi transferido para o hospital em Umuarama, teve a morte confirmada ontem no final da manhã pelo Hospital Cemil. O acusado de cometer o crime está preso. Havia ainda previsão de doação de órgãos, o que não se confirmou. A causa da morte teria sido asfixia.

A polícia informou que exame realizado pelos médicos do Instituto Médico Legal (IML) de Umuarama ainda no hospital, constatou que a criança sofreu abuso sexual e que a agressão foi provavelmente no dia em que foi socorrido ao hospital. “Foi verificado através do médico perito do IML que a criança teria sofrido uma violência sexual, inclusive com lesões recentes que caracterizariam esse abuso”, afirmou o delegado Thiago Soares.

PADRASTO PRINCIPAL SUSPEITO

Com essa informação a polícia levou todos os familiares da criança para a delegacia, onde durante depoimento, houve incongruência entre o relatado pela mãe do menino e o padrasto.

Haja vista que as lesões na criança eram recentes e pelo que foi preliminarmente apurado, o padrasto foi o único que teve contato com a criança e o padrasto teria ficado sozinho com a criança durante a manhã de ontem (26), foi verificado que havia indícios de autoria contra o padrasto e foi dada a voz de prisão em flagrante na delegacia de Umuarama”, afirmou o delegado.

ESTUPRO DE VULNERÁVEL

Diante disso, o suspeito foi atuado por estupro de vulnerável. A pena é de 8 a 15 anos de prisão. Após ser detido, o homem foi levado para uma delegacia da região e transferido para Curitiba, segundo o apurado pelo Ilustrado. A polícia não confirmou o local da transferência por motivo de segurança.

O ABUSO SEXUAL

O crime ocorreu na quarta-feira na casa da vítima em Cianorte. A criança estaria sob os cuidados do suspeito enquanto a mãe do menino trabalhava. O homem é padrasto da criança. Após a violência, a criança teria convulsionado e o suspeito chamado o pai dele, que é suspeito pela família de ter alterado a cena do crime antes de acionar o Samu. As investigações seguem sob segredo de justiça e passam a ser conduzidas pela delegacia de Cianorte.

Nota da redação

Diante do questionamento de alguns leitores sobre a demora em postar a notícia da morte da criança no site e no jornal impresso, o Ilustrado esclarece que o falecimento do menino somente foi confirmado neste sábado pela manhã. Na sexta-feira foi aberto o protocolo que pode ou não confirmar a morte, mas a criança ainda respirava na UTI do Hospital Cemil. Por isso, em respeito à família o jornal optou por seguir na sua linha editorial pautada pela ética e aguardar a confirmação oficial da morte.