Umuarama

Seca

Consumo de água potável aumenta quase 10% em Umuarama e Sanepar faz alerta sobre uso

16/09/2020 08H53

Dados da Sanepar revelam que não há previsão de racionamento de água potável e nem rodízio para Umuarama. Entretanto, o consumo dos umuaramenses aumentou em 8% no mês de setembro, se comparado com os primeiros quinze dias de agosto. Desta forma, a companhia faz um alerta para a necessidade de realizar o consumo racional, pois a cidade passa por um dos maiores períodos de seca dos últimos 20 anos, conforme mapa do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar).

Com a elevação das temperaturas e o tempo seco em Umuarama e toda região, o consumo de água pelos umuaramenses aumentou em 8% nos primeiros quinze dias de setembro, se comparado com o mesmo período de agosto. Porém, esse consumo já havia apresentado uma leve elevação de 3% com a pandemia do coronavírus e as pessoas permanecendo maior tempo dentro de casa.

A elevação do consumo ainda não afetou significativamente o abastecimento da cidade, informou a assessoria da Sanepar. Mas a estiagem que vem a solando o Paraná, desde o início do ano, pede atenção dos consumidores. “No momento não temos previsão de racionamento e nem rodízio no abastecimento na cidade de Umuarama. Com o consumo elevado, o que pode ocorrer são quedas de pressão na rede de distribuição em horários de pico. A população pode colaborar fazendo o uso racional da água”, ressaltou a Sanepar, em nota enviada a redação do Ilustrado na manhã de terça-feira (15).

Ainda segundo a companhia, algumas ações da comunidade podem ajudar na economia da água, como a redução do tempo no banho, o reúso da água do enxágue da máquina e tanque de lavar roupa, como também, evitar o uso de mangueira para “varrer” a calçada e além de outras mudanças nos hábitos de consumo.

Ação no Piava

A Sanepar ressaltou que as ações estão sendo desenvolvidas no rio Piava, manancial que abastece Umuarama, como execução de curva de nível, manutenção em terraceamento e nas caixas de contenção de águas pluvial e dragagem contínua na barragem de captação, o que contribuí para que a queda de vazão no rio fosse pequena, não afetando o processo de captação.

ESTIAGEM

O Índice Padronizado de Precipitação do Simepar, mostra que nas localidades das regiões Oeste, Central, Sul, Centro-Sul, RMC e Litoral a ocorrência é de estiagem extrema, a maior em 50 anos. Nas demais, o nível varia de estiagem leve (a pior dos últimos três anos), para moderada (10 anos) a forte (20 anos). Mesmo com a previsão de pancadas de chuvas, a seca deve prolonguar até as próximas chuvas de verão, entre dezembro e fevereiro do ano que vem.

Confira dicas de consumo de água:

  1. Mantenha a torneira fechada ao lavar as mãos, escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça.
  2. Tome banhos curtos.
  3. Evite duchas de alta pressão.
  4. Organize a louça antes de lavá-la.
  5. Só ligue a lava-louças e a lava-roupas quando estiverem cheias.
  6. Se possível, prefira usar a lava-louças no lugar da maneira tradicional de limpeza.
  7. Se você tiver uma piscina, cubra-a com uma capa quando não estiver usando. As piscinas podem perder até 90% de sua água em um mês por conta da evaporação.
  8. No jardim, evite regar as plantas nos horários de sol forte.
  9. Use a vassoura para limpar o quintal, a calçada ou as áreas comuns de prédios e empresas – uma mangueira ligada por 15 minutos gasta 280 litros de água.