Umuarama

ESTÉTICA ANIMAL

Conheça todos os cuidados na hora do banho e da tosa do seu querido pet

03/11/2020 17H44

Cães e gatos se tornaram membros da família e essa convivência próxima faz com que os tutores mantenham em dia banho e tosa, mas você sabe quais os cuidados que donos e profissionais da beleza animal devem adotar na hora de higienizar o seu melhor amigo?

Para descobrir todos os segredos a Coluna Pet do Ilustrado conversou com a banhista e tosadora Valéria Cavalcante, que também dá cursos profissionalizantes, ensinando quem quer entrar para o ramo de estética animal, todos os cuidados que devem ser tomados para garantir a saúde e a integridade do animalzinho.

OS PELOS

A primeira ressalva que Valéria fez é que os pelos ajudam a manter a temperatura corporal do animal e funcionam como um sensor térmico, independente da pelagem ser curta ou longa. Por isso a tosa, quando realizada, não pode ser no ‘zero’. “Chega o verão e quem tem cachorro de pelo longo traz para ser tosado e pede para deixar pelado achando que vai estar refrescando o animal. Não é assim”, afirmou.

A TOSA

A recomendação é que seja feita sempre que necessário a tosa higiênica das patas e região íntima como vulva e ânus do animal e no verão ser passada a lâmina na barriga para refrescar. E ela alerta que a lâmina não dá alergia. “O que ocorre é que após passar a lâmina os poros estão abertos e o animal volta para casa onde o ambiente pode estar ‘esterilizado’ se for dia de faxina ou sujo demais e isso pode causar uma alergia, como também máquina de tosa sem ser esterilizada que pode transportar a alergia de um animal para outro, enfim, têm muitas possibilidades”, explicou.

A RAÇA

Outra regra de ouro para Valéria é o profissional conhecer cada raça e as suas particularidades. “Tem que conhecer a raça e entender o animal. Quer um exemplo? O chow-chow e o spitz alemão não podem ser tosados na lâmina, pois se corre o risco da pelagem não voltar a crescer em partes do corpo e o animal ficar todo falhado. A tosa deles deve ser na tesoura sempre. Daí a pessoa tem um chow-chow que toma banho uma vez ao ano. Chega em um pet que não conhece a raça e vai passar a lâmina por ser mais fácil, pois a pelagem vai estar toda cheia de nós”, alertou.

E ela alerta: a tosa deve ser feita apenas por profissionais sérios. Nada de arriscar pegar uma máquina de cortar cabelo e sair tosando seu animalzinho ou levar em qualquer lugar que não conheça bem o profissional. Além do resultado não ser bem o que espera ainda há o risco de cortes e outros danos, portanto, já sabe: quer seu bichinho tosado? Procure um profissional.

O BANHO

Ainda segundo Valéria, o banho também requer cuidados. Se for no petshop, o local deve ser dotado de um tanque de banho e que possua a estrutura para prender o animal, dependendo da raça. “Acha que a gente não recebe mordida? Recebe sim, por isso é necessário todo o cuidado para a segurança no animal e também do profissional”, afirmou.

LAVAGEM

Se o banho for caseiro, ela recomenda alguns cuidados, como colocar algodão nos ouvidos dos animais, usar uma guia de contenção de segurança para evitar acidentes, o uso de produtos veterinários e água morna. “Nada de produtos humanos pois o PH humano é diferente do PH do animal e pode causar problemas de pele. Então nada de sabão de coca, sabão Ypê e nem shampoo de criança”, afirmou. Ela orientou ainda observar se o produto é indicado para a raça do pet.