Umuarama

Cultura

Companhia de Reis Silvério do Carmo recebe reconhecimento em Aparecida

07/01/2019 08H48

Nascida em 1962 pelos amigos Sebastiana Silvério e Antônio do Carmo, a companhia de Santos Reis Silvério do Carmo foi convidada em 2017 para participar do encontro de Bandeiras de Folia de Reis no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida do Norte-SP. O reconhecimento vem, após mais de 50 anos propagando a cultura e o nascimento de Jesus nos municípios de Cruzeiro do Oeste e Umuarama.

Neto de Antônio do Carmo, Alan Carlos Ramos de Oliveira, conta que o convite por parte da Igreja Católica para a companhia participar do encontro de bandeiras, mostra o valor do movimento nascido em Cruzeiro do Oeste para com a cultura e a fé. “Fretamos um ônibus e fomos para Aparecida e no dia 20 de janeiro de 2017 nos apresentamos lá”, relembra.

No santuário de Nossa Senhora Aparecida, a companhia Silvério do Carmo começou sua folia na Basílica, passaram pela passarela cantando e saldando outras bandeiras. A companhia ainda seguiu para Basílica Velha onde receberam a benção do padre e desceram até a capela de São Benedito, onde estava sendo realizado o encontro. “As pessoas queriam tocar na bandeira e cantavam, foi muito gratificante participar de um momento como aquele”, ressaltou Oliveira.

Preconceito

Conforme Alan Carlos, por onde a companhia passa, tanto em Cruzeiro do Oeste como Umuarama, existe um acolhimento dos fiéis. Entretanto, o entrevistado ressalta que existe um preconceito por parte dos mais novos devido a falta de informação. “Em Umuarama cantamos na igreja São Paulo e os mais idosos seguiram com a gente nas casas da região. Mas percebemos um preconceito perante os fiéis mais novos. Existe muita desinformação e sofremos muito o etnocentrismo, onde só o meu é que presta”, alertou.

Dia de Reis

No domingo (6) foi dia de Santos Reis, data criada para lembrar a visita dos três Reis Magos ao Menino Jesus. O festejo é uma celebração da Igreja Católica realizada entre os dias 24 de dezembro e 06 de janeiro, o dia da comemoração. No domingo, a Companhia Silvério do Carmo regressou para a cidade onde nasceu, Cruzeiro do Oeste, onde realiza uma grande festa com comida farta. “Recebemos doações por onde passamos e com esse alimento levamos um banquete para os fiéis. Na nossa companhia não tem bebida alcoólica nem no dia do festejo, pois é um momento de reflexão e união. Ainda entregamos cestas básicas para a igreja entregar para quem precisa”, disse Alan Carlos.

Nascimento e último ano

Na década de 60, Sebastiana Silvério e sua família tinham se mudado para Goiás, onde passaram muitas dificuldades até vindo a falecer um filho. Nesse cenário árido, Ela pediu aos Reis Magos para ajudar sair daquela situação e voltar para o Paraná. Passados três dias do pedido, um amigo ajudou a regressar para terra natal.

Após esse episódio, a matriarca com a ajuda do amigo Antônio do Carmo começaram a percorrer as ruas de Cruzeiro do Oeste com os foliões os doze dias de folia. “Fiz a promessa e recebi a graça. No meu compromisso falei que ia sair sete anos com a Folia de Reis, mas outras pessoas conseguiram alcançar pedidos com a nossa.

Ao longo desses anos, poucas foram os anos que a companhia não saiu e após o falecimento de Antônio e Sebastiana, seus filhos, netos e amigos mantiveram a tradição. Entretanto Alan de Oliveira conta que 2020 pode ser o último ano da companhia. “Também fizemos uma promessa, pois tínhamos um parente muito doente e nossas preces foram atendidas. Porém, nossa promessa vai até ano que vem e não sabemos se a companhia continua depois disso”, contou.

Premiação

No ano de 2007, Sebastiana Silvério ganhou o prêmio Culturas Populares – realizado pela Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura. A premiação foi o reconhecimento da anciã por ter criado e ajudado a manter durante quase cinco décadas a Folia de Reis “Silvério do Carmo”.