Umuarama

EM UMUARAMA

Chuvas voltam a deixar estragos em bairros da cidade e também nas estradas rurais

19/04/2023 08H40

Jornal Ilustrado - Chuvas voltam a deixar estragos em bairros da cidade e também nas estradas rurais

As chuvas dos últimos dias trouxeram de volta um problema bem característico, decorrente da fragilidade do solo da região de Umuarama: a erosão. Em diversos pontos da cidade o volume de água superou a capacidade de escoamento das galerias pluviais e, correndo por cima das vias, acabou abrindo valas e crateras – algumas até com grandes dimensões –, além de pontos isolados de alagamento, que escoam após o fim das chuvas.

Levantamento preliminar de equipes da Secretaria Municipal de Obras, Planejamento Urbano e Projetos Técnicos apontam que os maiores transtornos ocorreram no Conjunto Residencial Porto Belo, região do Jardim Panorama e Jardim Copacabana, além do Industrial. “Houve pequenos danos em vários pontos da cidade, mas estamos monitorando de perto a situação e realizando serviços paliativos, até que o tempo firme e possamos recuperar as galerias e a pavimentação”, explicou o diretor de Obras do município, Renato Caobianco.

O secretário de Obras, Gleison Alves de Andrade, explica que em muitos locais as galerias não conseguiram suportar o volume elevado de chuvas dos últimos dias. De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), choveu quase 60 milímetros nos últimos dias, em Umuarama. “O problema é que boa parte desse volume se concentrou em alguns momentos breves. Chuva forte em pouco tempo sempre deixa estragos”, afirmou. “Mas estamos atentos e recuperando os prejuízos”, acrescentou.

A situação não é diferente nas estradas rurais. O secretário de Serviços Rodoviários, Osvaldo Borborema Marto, disse que as equipes ainda estão em campo avaliando os estragos, mas já identificaram diversos pontos críticos. “Estamos com as máquinas trabalhando para desobstruir estradas que tiveram a passagem prejudicada pela erosão e acúmulos de lama. Na zona rural parece que a chuva foi mais intensa, deixando o trânsito quase impraticável em alguns pontos”, afirmou.

A recuperação, porém depende de uma melhora do tempo. “De acordo com a previsão, tudo indica que o tempo vai melhorar a partir de amanhã. Desta forma conseguiremos agilizar a manutenção e recuperação dos pontos críticos. É importante que os moradores da zona rural informem os locais mais afetados pela chuva, afinal tem mais de 600 km de estradas rurais sem asfalto em Umuarama”, destacou o secretário.

Jornal Ilustrado - Chuvas voltam a deixar estragos em bairros da cidade e também nas estradas rurais

NOVAS GALERIAS

A região do Parque Industrial, uma das mais impactadas em dias de chuva forte, receberá nos próximos meses uma grande obra de drenagem pluvial que promete resolver o problema da erosão e dos alagamentos. O prefeito Hermes Pimentel solicitou ao departamento de Projetos Técnicos da Prefeitura a elaboração do projeto, que deve receber o investimento de R$ 4,2 milhões.

“Precisamos refazer a rede de galerias, que já não suporta mais o volume de água da chuva” disse o prefeito. O engenheiro Gustavo Bácaro, diretor de Projetos Técnicos, disse que o projeto está pronto e já foi encaminhado ao setor de Planejamento Orçamentário, de onde seguirá para licitação. “Vamos aumentar o diâmetro da rede e o número de linhas de tubos a fim de aumentar a drenagem e melhorar a captação da água que hoje escorre superficialmente”, disse.

O cronograma de execução é de oito meses a partir da ordem de serviço. Serão construídos cerca de 700 metros de rede dupla, boa parte dela com tubos de 1,50 m de diâmetro. A obra percorrerá a avenida Jonas Zamberlan, passará pela Rua Quatro e também pela avenida Industrial, conduzindo as águas pluviais até um córrego existente no bairro.

O projeto prevê a utilização de 1.070 tubos de 1,5m, cerca de 360 de 1,2m e outros 137 de 0,6m, além da construção de 35 bocas de lobo, 24 caixas de passagem, cinco poços de visita e um dissipador. Serão necessários 11 mil m³ de escavações e 8 mil m³ de reaterros mecanizados. “A obra vai interferir no trânsito e na rotina dos moradores, pois haverá remoção de pavimento e escavações nas vias públicas. O transtorno é inevitável, mas será recompensado com o fim da erosão e dos alagamentos”, completou o prefeito Hermes Pimentel.