Umuarama

CORONAVÍRUS

Celso Pozzobom pede para comunidade ficar em casa e começa organizar abertura de setores

31/03/2020 11H47

Em pronunciamento na manhã desta terça-feira (31), o prefeito Celso Pozzobom pediu encarecidamente para que os umuaramenses fiquem em casa, após a confirmação de que Umuarama entrou na lista de cidades com transmissão comunitária do coronavírus. O prefeito também ressaltou que vem realizando reuniões com empresários para iniciar gradativamente os setores da indústria e comércio.

Segundo Celso Pozzobom, ontem a cidade viveu um dia atípico em que as pessoas não respeitaram os decretos de quarentena, durante todo dia foram mais 90 notificação de pessoas que infringiram as regras. Ainda segundo o prefeito, muitos idosos também colocaram a vida em risco se aglomerando nas agências bancárias.

“Precisamos desses 14 dias para cumprir a primeira etapa. Não será a primeira nem a última e possivelmente precisaremos decretar o isolamento total se a epidemia avançar na cidade de Umuarama. Por isso pedimos que as pessoas tenham consciência e fiquem em casa”.

Conforme o prefeito, até ontem eram 41 casos de coronavírus em investigação, sendo uma pessoa internada e quatro pessoas em situação grave na UTI. “Neste momento conseguimos fazer acompanhamento desses pacientes, mas se a situação evoluir não teremos condições para isso, como já está acontecendo em São Paulo. Umuarama tem 110 mil habitantes, mas os 22 munícipios da região fazem parte da saúde de Umuarama e só temos 40 leitos de UTI, sendo que apenas 18 estão disponíveis nesse momento” alertou.

Devido a situação de desobediência de alguns umuaramenses a administração municipal pensou em decretar Toque de Recolher. “Impossível que uma pequena parte da sociedade não entenda a situação que estamos vivendo.

Abertura das empresas

A exemplo da reunião entre o prefeito e empresários do setor da construção civil, a administração municipal também vai realizar a conversa com demais setores. “Gradativamente queremos abrir cada setor de serviço em Umuarama. A partir de quinta-feira estamos possibilitando o retorno da construção civil. Mas precisamos que, quem puder ficar em casa fique. Hoje vamos fazer outra reunião com os moveleiros e correlatos da construção civil e estabelecer os critérios para voltar na próxima semana”.