Umuarama

Sociedade

Caravana em apoio ao presidente Bolsonaro revolta e gera críticas em Umuarama

15/05/2020 09H17

A suposta caravana de umuaramenses que promete se juntar ao grupo “300 do Brasil”, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro – em Brasília-DF, vem sendo criticada severamente na internet, como também, por representantes de classe. Um exemplo, foi a nota publicado pelo presidente da Associação Comercial Industrial de Umuarama (ACIU).

Na nota assinada pelo presidente da ACIU, Orlando Santos, diz que “Em um momento em que diversas localidades projetam com zelo o pico da pandemia de Covid-19 e maneiras de guarnecer a população, causam estupefação iniciativas como a surgida em Umuarama e em diversas outras cidades, como Londrina, voltadas à organização de caravanas com destino à região Centro-Oeste*, a fim de engrossar o movimento ‘300 de Brasília’, que mantém um acampamento pró-Bolsonaro na capital federal”.

Nos grupos de debate na rede social Facebook os comentários também são de preocupação e desprezo pela iniciativa. Principalmente com o aumento, em apenas um dia, de cinco umuaramenses confirmados com coronavírus. Os novos pacientes estão relacionados ao 8º caso confirmado da doença, no domingo, 10, de um motorista de 46 anos que esteve em São Paulo recentemente

O presidente da associação prossegue na nota “Espanta e assusta a configuração de uma aglomeração de raros precedentes, nitidamente inconsequente, reunindo brasileiros dos quatro cantos do território nacional e com ápice previsto para o próximo domingo (17). Tanto pela alta probabilidade de transmissão do temido vírus, quanto pelos hábitos que os manifestantes fazem questão de realçar, aparecendo diariamente na mídia desprovidos de máscara e contrariando outras recomendações das autoridades de saúde”.

REPÚDIO

O texto finaliza com repúdio ao ato de umuaramenses de realizarem aglomeração em Brasília, local com vários casos de Covid-19. “Não se trata de ser contra o sagrado direito de ir e vir, mas tão somente de raciocinar com um mínimo de sobriedade. Fica aqui o repúdio da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Umuarama (Aciu) e o pedido para que a questão seja analisada com critério pelo Ministério Público, sempre tão atento aos interesses da população, notoriamente no que tange ao enfrentamento do novo coronavírus”.

Publicações sumiram

No início da tarde de ontem, o jornal Umuarama Ilustrado buscou nas redes sociais as publicações da possível caravana, porém não achou postagens a respeito. O jornal também ligou para um dos organizadores do evento, mas a pessoa não atendeu o telefone.