Policial

RISCO DE CONTÁGIO

Cadeia de Umuarama tem um caso suspeito de tuberculose

15/06/2020 17H02

Umuarama – A Cadeia Pública de Umuarama tem ao menos um caso suspeito de tuberculose. O preso está sendo mantido em isolamento dos demais detentos e em observação. Sua idade e nome não foram divulgados.

Segundo o chefe regional do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) Geraldo Andrade, ainda não é possível saber quando sairá o resultado do exame que comprove ou não a doença, mas por questão de segurança dos demais detentos, o preso já está em isolamento.

Andrade disse que ainda não é possível saber se há o risco de outros casos, uma vez que há diversos fatores de influenciam no aparecimento da doença.

A TUBERCULOSE

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e/ou sistemas. A doença é causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch.

Segundo dados do Ministério da Saúde, os privados de liberdade tem 28 vezes mais chance de adoecer de tuberculose.

ENCARCERADOS

Celas mal ventiladas, iluminação solar reduzida e dificuldade de acesso aos serviços de saúde, são alguns fatores que contribuem para o coeficiente elevado de tuberculose no sistema prisional.

A circulação em massa de pessoas (profissionais de saúde e da justiça, familiares), as transferências de uma prisão para outra e as altas taxas de reencarceramento, colocam também em situação de risco as comunidades externas às prisões.

A população privada de liberdade representa aproximadamente 0,3% da população brasileira, e contribui com 10,5% dos casos novos de tuberculose notificados no país: 7.559 casos novos em 2018. Também é particularmente elevada a frequência de formas resistentes relacionadas ao tratamento irregular e à detecção tardia nesse grupo populacional.

Estratégias para o controle da doença devem ser adotadas entre a saúde e a justiça, com a finalidade de detectar e tratar precocemente todos os casos de tuberculose, seja entre os ingressos do sistema prisional e/ou entre a população já encarcerada.

TRATAMENTO

O tratamento da tuberculose dura no mínimo seis meses, é gratuito e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), devendo ser realizado, preferencialmente, em regime de Tratamento Diretamente Observado (TDO).

Além dos fatores relacionados ao sistema imunológico de cada pessoa e à exposição ao bacilo, o adoecimento por tuberculose, muitas vezes, está ligado às condições precárias de vida. Assim, alguns grupos populacionais podem apresentar situações de maior vulnerabilidade.

Com informações do Ministério da Saúde.