Aragão Filho

Coluna

Aragão Filho

25/01/2021 17H34

Representantes da Hyundai em Umuarama

Alexandre Serra, diretor comercial do Grupo Open

Caroline Bernardo gerente de marketing do Grupo Open

Em destaque na coluna de hoje o diretor comercial do Grupo Open, Alexandre Serra, e Caroline Bernardo, gerente de marketing do mesmo grupo. Eles estiveram ontem em Umuarama visitando a nova concessionária Hyundai que é do mesmo grupo. O Grupo Open tem concessionárias em Cascavel, Foz do Iguaçu, Toledo, Curitiba e agora Umuarama.

ANIVERSÁRIO

O jovem Rafael Felipe Manini, de Umuarama, comemora aniversário na próxima segunda-feira rodeado de familiares e amigos. Ele recebe os parabéns especiais dos pais, outros familiares, equipe do setor de Habitação da Prefeitura e outros amigos. Parabéns!

Escrito apenas ontem…

“Claro está que em todo o poder se encerra um dever: o dever de não se exercitar o poder, senão dadas as condições, que legitimem o seu uso, mas não deixar de exercê-lo, dadas as condições que o exijam.”

– Rui Barbosa.

Ele disse:

Existem pessoas simplesmente viciadas em disputas de opinião. Precisam estar irremediavelmente sempre certas. Sentem um inexplicável prazer nisso, uma satisfação pela discussão e por superar o diálogo. Elas gostam do embate de argumentos, sentem-se poderosas quando pensam ter conseguido desarmar o oponente, deixando-o sem palavras. Pessoas assim querem sempre debater, mas desde que consigam fazer prevalecer seus pontos de vista. Encaram toda conversa como uma disputa e querem vencer. Para elas, a vida foi orientada para o sucesso.”

De Jürgen Habermas, filósofo e sociólogo alemão, sobre a toxicidade das redes sociais.

Parece guerra

Manchetes do dia 20 de dezembro de 2020:

– “Explosão provoca incêndio em segunda maior fábrica de hidroxicloroquina do mundo, em Taiwan”.

Manchetes do dia 21 de janeiro de 2021:

– “Cinco mortos em incêndio na maior fábrica de vacinas do mundo na Índia”.

Eu, hein…

Vergonha da raça

Ministério Público de três Estados, Piauí, Distrito federal e Amazonas, por enquanto, investigam denúncias, e evidências, de que estão furando a fila de vacinação contra a covid-19.

Poderosos, parentes de poderosos, amigos de poderosos e quem os poderosos indicarem estariam recebendo a imunização antes dos grupos de risco.

Em Manaus, a vacinação chegou a ser suspensa temporariamente após denúncias de que pessoas fora do grupo prioritário estavam sendo imunizadas.

Como se vê, risco mesmo oferece aqueles que se lixam para o povão.

Faz de conta

O tratado que proíbe o uso, desenvolvimento, produção, teste, armazenamento e também ameaças de uso de armas nucleares entrou em vigor nesta sexta-feira.

No total, 122 países o aprovaram na Assembleia Geral da ONU em 2017.

Nenhum deles tem armas nucleares.

E todos os países que detém arsenal nuclear fugiram do acordo.

Logo, não vai rolar o fim do medo.

Sem aviso

Motoristas e cobradores das empresas de transporte coletivo de Londrina paralisaram as atividades, mas nem todo usuário foi informado da paralisação e ficou a ver a banda passar nos pontos de ônibus.

O trabalhador não teve como chegar ao trabalho porque motoristas e cobradores paralisaram atividades em protesto pela falta de pagamento.

É trabalhador prejudicando trabalhador enquanto tubarão enche os cofres sem nenhuma preocupação.

E assim caminha a humanidade; desunida na ordem unida…

Papo rápido

– O capitão presidente acredita que esteja vivendo um inferno astral…

– Ele pode até estar vivendo inferno astral, mas quem está ardendo no mármore das profundezas é o povo pobre deste país…

Policromático

O Brasil está ficando de um jeito que vai acabar não tendo mais jeito só por causa do jeitinho brasileiro…

Metafísico

E por falar em vacinar primeiro quem está na linha de frente, e os policiais, que são chamados até para tirar de circulação quem desrespeita quarentena?

E já que perguntar não ofende…

Furar fila de vacinação não é corrupção, prevaricação, crime administrativo e safadeza das grossas?

Preço da honra

O desembargador paulista Siqueirinha foi condenado a indenizar em R$ 20 mil o guarda que chamou de analfabeto porque multou sua excelência por passear sem mascara.

Se fosse o guarda que tivesse xingado o desembargador, a indenização seria multiplicada por vinte, porque honra de desembargador tem muito mais valor na praça do que honra de guarda municipal.

Ou não é assim?