Esportes

Campeão

Após drible, Marcelo Cirino é elogiado pela Fifa e chamado de Messi: “Genial”

19/09/2019 22H11

 Marcelo Cirino do Athletico-PR, durante partida entre Internacional x Athletico

Curitiba, (AE) – O atacante Marcelo Cirino viveu uma quarta-feira especial com o título da Copa do Brasil conquistado pelo Athletico-PR, em Porto Alegre, com a vitória por 2 a 1 sobre o Internacional. E passará muitos dias comemorando a façanha e curtindo a grande repercussão pelo drible desconcertante que deu no lance que garantiu o triunfo de seu time. Virou febre no Twitter, fez um jornal argentino dizer que a jogada foi “nível Deus” e foi chamado até de Messi.

Na comemoração do título, Marcelo Cirino dava uma entrevista ainda no gramado do estádio Beira-Rio quando um companheiro chegou e o abraçou, dizendo: “É o Messi”. Horas depois, o perfil oficial da Fifa no Twitter compartilhou o vídeo e fez uma brincadeira. “Messi, se sua capa de super-herói está perdida, Marcelo Cirino a roubou para enfrentar alguns inimigos”.

A Fifa definiu o lance como “uma das assistências de tirar mais o fôlego que você vai ver” e o lance repercutiu também na Argentina. O jornal Olé exaltou o drible dado no início da jogada em Edenílson e Rafael Sóbis. “Marcelo Cirino, é como encerrar uma final nível Deus”, disse a publicação, que descreveu o lance como sendo de “uma genialidade”.

Em entrevista concedida ainda no gramado, o atacante se divertiu com o lance. Sorrindo, tentou explicar como executou a jogada que terminou com o gol de Rony. “A jogada foi inexplicável. Sabia que o jogo estava acabando e tentei levar a bola para o fundo, mas aí dois jogadores vieram e tive que tirar uma carta na manga. Tive que dar um jeito para passar o tempo”, disse, em declarações à TV Globo.

NOTÍCIA TRISTE – O taxista aposentado José Luiz Kuster Contador, de 63 anos, sofreu um enfarte e morreu na noite de quarta enquanto comemorava o gol do título da Copa do Brasil do Athletico. Morador de Morretes, no litoral do Paraná, e torcedor rubro-negro, ele se sentiu mal quando viu o time confirmar a vitória e o título inédito.

“Quando saiu o segundo gol, o coração não aguentou. O cardiologista disse que foi instantâneo, infelizmente morreu na hora e sem volta”, disse o filho do torcedor, Francesco Contador, em entrevista à rádio Banda B. “Quando encontrei meu pai, ele ainda estava quente e sorrindo. Ele estava sorrindo muito, parecendo alguém que foi embora, mas foi embora feliz”, comentou.

Torcedor fanático, José Luiz incentivou a família toda a torcer pela equipe. A vítima de enfarte havia se aposentado há dois anos, quando decidiu sair de Curitiba e morar no litoral do Paraná. “Ele tem ingressos desde a década de 1990 e todos da conquista do Brasileirão de 2001. Ele era fanático mesmo e toda nossa família é. Eu sou, os netos são e vamos manter vivo isso em homenagem a ele”, afirmou Francesco.

O incidente em Morretes não foi o único nesta final da Copa do Brasil. Na última terça-feira, no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, o torcedor Wesley Pontes perdeu a mão esquerda depois de um sinalizador que segurava estourar de forma inesperada. O time se sensibilizou com o caso. “A gente pegou toda cena, foi muito feia. Queria dedicar esse título a ele”, disse o atacante Nikão após a partida.