Cotidiano

BANCO DOS RÉUS

Acusado de matar Tábata vai a julgamento em outubro

08/09/2020 16H01

A pequena Tábata Crespilho foi morta em 26 de setembro de 2017 (foto redes sociais)

Está marcado para o próximo dia 15 de outubro o julgamento de Eduardo Leonildo da Silva, acusado de abusar sexualmente e matar a pequena Tábata Fabiano Crespilho Rosa, então com apenas 6 anos de idade, na tarde do dia 26 de setembro de 2017, em Umuarama.

O crime chocou a cidade e levou a depredação do complexo da 7ª SDP e a queima de 13 veículos, logo após a divulgação da prisão de Silva. A sessão de julgamento acontece em Cascavel, a 160 km da Capital da Amizade, por questões de segurança. Ainda não se sabe se a sessão será aberta ao público por causa da pandemia do covid19.

Segundo a advogada Josiane Monteiro, que atua como assistente de acusação, o juiz que vai presidir o julgamento ainda não detalhou como será a sessão até mesmo para quem vai atuar diretamente. Na próxima segunda-feira (14) acontece o sorteio dos 25 cidadãos, dentro os quais ser escolhido serão escolhidos sete que comporão o corpo de jurados.

O CRIME

Tábata sumiu por volta das 13 horas do 26 de setembro de 2017, quando seguia para a Escola Municipal Rui Barbosa, no Parque Danielle, em Umuarama. A menina morava com a família em um bairro próximo, no Jardim Colibri. O irmão de 13 anos a levou até as proximidades da escola. A menina foi abordada pelo criminoso há menos de 50 metros do estabelecimento de ensino.

O desaparecimento foi descoberto somente às 17 horas, quando o responsável foi pegar a criança e foi informado que Tabata não chegou a escola. As polícias Civil e Militar foram acionadas e as buscas começaram ainda na noite de terça-feira.

RÉU CONFESSO

O corpo da criança foi localizado na madrugada do dia 28 de setembro, horas após a Polícia Civil prender Eduardo Leonildo da Silva, que confessou ter matado e enterrado o corpo em um canavial em uma estrada rural nas proximidades do bairro Sonho Meu, segundo informou à polícia.

Na época a polícia informou que chegou até ao suspeito após conseguir imagens de câmeras de segurança nas imediações da Escola Municipal Rui Barbosa, que identificaram um VW Gol branco, que pertence ao suspeito.

O suspeito era conhecido da família da vítima, morava nas proximidades. Eduardo da Silva foi preso em flagrante acusado de homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Segundo a polícia, Eduardo da Silva já responde pelo homicídio e ocultação de cadáver de uma adolescente em Chopinzinho, no Oeste do Estado, ocorrido há 10 anos.