Dr. Eliseu Auth

Eliseu Auth

A pendenga entre o mestre e o discípulo

26/05/2020 05H43

Eliseu Auth é promotor de justiça inativo, atualmente advogado

A lógica é o ramo da filosofia que cuida das regras do raciocínio. Se o ilustrado leitor do “Umuarama Ilustrado” quiser se divertir com a arte da discussão e da argumentação deve começar lendo e degustando o trio de ouro dos filósofos da Grécia antiga. É fantástico o que pensavam e ensinavam lá atrás, trezentos anos antes de Cristo. Tanto é, que a Lógica de Aristóteles foi tão bem construída que perdura e é ensinada até hoje nas universidades.

Sócrates, Platão e Aristóteles conviveram com os sofistas e se bateram contra esses hábeis e espertos debatedores. Bons de retórica e de argumento aparentemente lógico, viviam nos tribunais onde advogavam causas como rábulas de muito sucesso. Alguns como o Protágoras, tinham academias e alunos de quem cobravam altas mensalidades em drácmas.

Pois é. Protágoras era respeitado porque contrapunha aos filósofos a sua teoria. Defendia que tudo era relativo e que não existe uma verdade absoluta. Dizia que “o homem é a medida de todas as coisas” e que tudo depende da experiência pessoal de cada um. Conta-se que tinha um aluno chamado Evatlo que, não conseguindo pagar as aulas que custavam caro, celebrou um contrato com o mestre: Só precisaria pagá-las quando, formado, ganhasse a primeira causa. O esperto Evatlo se formou e sumiu de cena sem pagar o mestre.

Protágoras entrou na Justiça, onde disse ao caloteiro: “Saiba, que em qualquer circunstância você me pagará. Se a sentença me for favorável, fica claro que tenho razão e receberei. Se desfavorável, terá que me pagar, pois estará vencendo a primeira causa.” Evatlo, aparentemente sem saída, contestou: “Senhores Juízes, caro mestre, nada devo. Por quê? Se os juízes me derem razão, não estarei obrigado a lhe pagar, pois a Justiça o determinará. E, se perder a demanda, ainda assim nada devo, pois estarei perdendo a minha primeira causa.” E agora? Nos meus apontamentos está que os juízes deram de ombros e tudo ficou como antes. Decida você, a pendenga entre o mestre e o discípulo.