Policial

ATENTADO

Pânico e feridos em invasão de atirador a hospital em Cidade Gaúcha

15/04/2019 18H49

 

Cidade Gaúcha – Um atirador encapuzado levou pânico e deixou duas pessoas feridas ao invadir o Hospital Municipal de Cidade Gaúcha e efetuar ao menos 20 disparos. O incidente ocorreu no fim da tarde de domingo (14).

No momento da ação mais de 20 pessoas, entre pacientes e funcionários, estavam na Casa de Saúde, que é a única a atender emergências 24 horas no Município. O homem fugiu antes da chegada da polícia e ainda não foi identificado.

As vítimas, um técnico em enfermagem de 50 anos e um paciente de 26 anos, tiveram ferimentos na clavícula e em uma das mãos, respectivamente, mas não correm risco de vida. Após o ataque ambos foram levados sob escolta policial na ambulância do Samu para a Santa Casa de Cianorte.

Apenas o profissional de saúde permanecia internado até o fim da tarde de segunda-feira (15). Ele deve ser submetido nos próximos dias a uma cirurgia para a retirada dos estilhaços de bala que atingiram suas costas.

ATENTADO Pânico e feridos em invasão de atirador a hospital em Cidade Gaúcha
Marcas dos disparos ficaram nas paredes e também na porta do ambulatório do Hospital (foto divulgação Secretaria Municipal de Saúde)

O SUSTO

Segundo a secretária de Saúde Edirlei Bonadio da Costa, o susto foi grande. “Temos pacientes, crianças, que vamos encaminhar para atendimento psicológico para evitar traumas futuros”, esclareceu Edirlei. Após a fuga do atirador, funcionários de folga foram até o local e ajudaram a realizar a limpeza para o atendimento ao público não ser interrompido.

“Somos o único hospital com atendimento 24 horas e não podemos fechar. Os médicos deram alta aos pacientes que quiseram ir para casa e hoje (segunda-feira) muitos já retornaram. Todos ficaram em pânico. Tivemos muita dificuldade em acalmar todos”, explicou a secretária.

Segundo o delegado da Polícia Civil de Cidade Gaúcha Lucas Magron, o objetivo do atirador era executar um jovem de 26 anos, que já havia sido baleado cerca de uma hora e meia antes. “O atirador foi até o local com a intenção de matar a vítima”, relatou.

O ATENTADO

Segundo a polícia, a vítima relatou que ela e mais dois amigos seguiam para o distrito de São Silvestre. No meio do caminho pararam para fazer necessidades fisiológicas. Neste momento o atirador teria chego na garupa de uma moto e efetuado um disparo contra a vítima, atingida no braço. Em seguida o atirador teria fugida. A polícia não descarta a possibilidade da arma ter travado.

A vítima conseguiu pedir ajuda e foi socorrido pela ambulância da Secretaria Municipal de Saúde e encaminhado ao Hospital da cidade. “Ele chegou e recebeu atendimento médico. Já havia sido atendido e estava no ambulatório quando o atirador chegou”, contou a secretária de Saúde.

Mesmo ferida no braço, a vítima ao perceber a aproximação do atirador conseguiu pular da maca, jogar a cama no chão e travar a porta do cômodo. Sem ter como entrar, o atirador efetuou ao menos 11 disparos contra a porta do ambulatório, que ficou cravejada. No local foram encontrados 21 cápsulas de pistola. Após efetuar o ataque o atirador fugiu por uma porta lateral da Casa de Saúde. A vítima foi atingida por um disparo na mão e o técnico em enfermagem com estilhaços na clavícula.

Segundo o delegado, a vítima saiu recentemente da cadeia e a polícia não descarta a possibilidade de uma desavença entre criminosos como motivação para o atentado.