Política

Município

Pozzobom lamenta rejeição a projeto que reorganizava estrutura administrativa

29/08/2018 13H17

Pozzobom explicou que diferente do que tem sido comentado, principalmente em redes sociais, a reorganização previa a redução do número de cargos em comissão

O prefeito de Umuarama, Celso Pozzobom, comentou nesta terça-feira, 28, a não aprovação pela Câmara de Vereadores ao projeto de lei complementar 023/2018, que, segundo ele, possibilitaria uma reestruturação administrativa no Executivo do município. Conforme o prefeito, a aprovação permitiria reorganizar toda a estrutura administrativa de assessoramento direto do prefeito, composta por cargos de provimento em comissão.

Pozzobom explicou que diferente do que tem sido comentado, principalmente em redes sociais, a reorganização previa a redução do número de cargos em comissão, visando proporcionar uma economia aos cofres públicos. Estabelecia limites para o quantitativo de vagas aos cargos em comissão, nos termos do art. 37 da Constituição Federal e criava atribuições para os cargos de assessor especial, além de modificar as atribuições dos diretores, conforme recomendação do Ministério Público do Paraná.

A supressão de seis secretarias e agrupamento em outras eliminaria uma série de cargos em comissão, além de proporcionar economia. Isso permitiria organizar a divisão de funções entre os servidores e melhorar o serviço prestado”, disse. As modificações propostas no projeto de lei produziriam ao impacto negativo – ou seja uma economia mensal inicial aos cofres públicos – de R$ 23 mil.

O valor gasto hoje com cargos comissionados – cerca de R$ 580 mil mensais – é menor que o custo dessa modalidade de servidores no final da gestão passada (pouco mais de R$ 620 mil) e com o projeto poderíamos reduzir ainda mais esse total”, comparou Pozzobom. “Mas a Câmara não entendeu dessa forma, então não será possível realizar essa economia, conforme era intenção da administração municipal”, completou.