Esportes

HEXACAMPEÃ

Marta é eleita a melhor jogadora de futebol do mundo pela sexta vez

24/09/2018 20H04

Jogadora de futebol Marta é eleita pela sexta vez a melhor jogadora do mundo
A brasileira Marta foi eleita a melhor jogadora de futebol do mundo hoje (24) em Zurique, na Suíça

A brasileira Marta foi eleita a melhor jogadora de futebol do mundo pela sexta vez. O prêmio foi entregue na segunda-feira (24) na cerimônia The Best, promovida pela Federação Internacional de Futebol (Fifa).

A atacante já havia sido premiada com a mesma honraria em 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010. Com isso, passou a deter, isoladamente, o maior número de títulos de melhor atleta de futebol do mundo, entre homens e mulheres.

Ela passou Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, ambos com cinco troféus.

Na votação deste ano, Marta superou a norueguesa Ada Hegerberg e a alemã Dzenifer Marosán. Marta foi ao palco emocionada para receber o prêmio.

É um momento fantástico. E as pessoas falam para mim: você já esteve nessa posição tantas vezes e todas as vezes você se emociona. Realmente. Eu faço isso porque isso representa muito para mim. É um momento mágico. Obrigada”.

Marta agradeceu às companheiras do Orlando Pride (EUA), clube que defende desde o ano passado, e da seleção brasileira. Agradeceu também a Deus e a todos que a escolheram como a melhor do esporte entre as mulheres.

A escolha de Marta no futebol feminino contrasta com a ausência de brasileiros no masculino. Um jogador do país não é escolhido desde Kaká, em 2007.

Marta tem 32 anos e é o principal nome da seleção brasileira desde 2003, quando conquistou a medalha de ouro nos jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, além da Copa América.

MELHOR DO MUNDO

O croata Luka Modric, 33, quebrou o duopólio de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no prêmio de melhor do mundo na Fifa. O meia foi escolhido craque de 2018, em cerimônia realizada nesta segunda (24), na sede da entidade, em Zurique, na Suíça.
Modric, que já havia sido escolhido o melhor da última Copa do Mundo, na Rússia, derrotou Cristiano Ronaldo e o egípcio Mohamed Salah, os outros dois finalistas.

Desde 2008, os vencedores do prêmio foram sempre Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi, Cada um ganhou cinco vezes. O português foi eleito nas três últimas temporadas.

É a primeira vez, desde 2006, que um jogador que não é atacante o escolhido melhor do mundo. Naquele ano, o zagueiro italiano Fabio Cannavaro ganhou. Foi também a primeira vez que um croata ficou com o troféu.

Além de ter vencido a Champions League com o Real Madrid, Modric foi eleito pela campanha no Mundial, quando foi o principal nome da Croácia que surpreendeu e chegou à final, sendo derrotada pela França.

FORA DA FINAL

Foi a primeira vez desde 2006 que Messi não entrou na lista de finalistas para o prêmio, resultado da derrota do Barcelona na Champions League e pela campanha ruim da Argentina na Copa do Mundo. A seleção foi eliminada nas oitavas de final. O atacante fez apenas um gol no torneio, com atuações apagadas.

Salah levou como consolação o Prêmio Puskas de gol mais bonito da temporada, marcado contra o Everton, pelo Campeonato Inglês. Ele superou gols de bicicleta de Cristiano Ronaldo e Gareth Bale e a finalização de Messi contra a Nigéria, no Mundial. A participação brasileira, com o gol do uruguaio De Arrascaeta, pelo Cruzeiro, não ganhou.

MELHOR TÉCNICO

Se a escolha de Salah foi surpreendente, o mesmo não pode ser dito da premiação de melhor técnico do ano. Didier Deschamps, campeão do mundo com a França, foi o escolhido e recebeu o troféu das mãos de outro francês: Arséne Wenger, que foi treinador do Arsenal (ING) por 22 anos.

Thibaut Courtois foi escolhido o melhor goleiro do ano pela Fifa também pelas atuações na seleção belga no torneio na Rússia. Em seguida, ele trocou o Chelsea pelo Real Madrid.

O prêmio de melhor técnico de futebol feminino foi entregue para o francês Reynald Pedros, que comanda o Lyon (FRA).

O brasileiro Jackson Follmann, sobrevivente do acidente aéreo da Chapecoense, anunciou o nome de Courtois, ao lado do ex-goleiro holandês Edwin van der Sar.

A escalação seria: De Gea; Dani Alves, Varane, Sergio Ramos, Marcelo; Modric, Kanté, Hazard,; Messi, Mbappé e Cristiano Ronaldo.