Umuarama

CELEBRAÇÃO DE ORDENAÇÃO DE DOM ANTONIO LUIZ

Conheça o brasão de Dom Antonio Luiz

05/02/2022 10H56

Jornal Ilustrado - Conheça o brasão de Dom Antonio Luiz
Cada bispo pode escolher os símbolos que compõe o seu brasão

Dia 24 de novembro o Papa Francisco elegeu Dom Antonio Luiz Catelan Ferreira Bispo Titular de Tunes e Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Seguindo um antigo costume, cada Bispo, por meio dos elementos simbólicos de seu brasão – escudo de armas –, dá a conhecer características que considera significativas de sua história e de seu modo de compreender a missão que lhe é confiada pelo Senhor e por sua Igreja.

Conheça o brasão de Dom Antonio Luiz:

1. O campo principal, em vermelho alude ao Espírito Santo – padroeiro da diocese de Umuarama, e ao testemunho maior da fé – o martírio.

A eleição do novo bispo se deu no dia dos Mártires Vietnamitas, a Ordenação Presbiteral e a Ordenação Episcopal são do dia da virgem e mártir Santa Águeda, a Igreja para onde o bispo foi enviado tem por Patrono o mártir São Sebastião e sua sede titular é também terra de mártires. É súplica para guardar pura e transmitir íntegra a fé apostólica.

2. No centro sobressai “a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Ef 6,17), a indicar o encargo preeminente do Bispo (LG 25). É súplica para cumpri-lo com parresía e amor.

3. A seu lado esquerdo está a estrela, sinal da Virgem Mãe de Nosso Deus e Senhor Jesus Cristo, aurora da salvação, invocada como Stella Maris, Candelária e Nossa Senhora dos Navegantes – comemorada no dia do nascimento do Bispo. É súplica de orientação e auxílio.

4. À direita, a flor de nardo – citação do brasão do Papa Francisco – simboliza São José. Faz memória da comunidade de onde o Bispo saiu para o seminário e a paróquia em que atuava quando chamado ao episcopado, marca ainda que a eleição se deu no “Ano de São José”. É súplica para obter um “coração de pai”.

5. Na parte inferior, sobre o azul, traços curvilíneos aludem aos rios que circunscrevem a diocese de Umuarama (Paraná, Ivaí e Piquiri) e ao Oceano Atlântico que banha a Cidade do Rio de Janeiro. Sobre eles, a vieira – citação do brasão do Papa Emérito Bento XVI – simboliza a ars theologica, conhecimento científico e devoto. É súplica para progredir na busca de Deus.

6. Encima o brasão o galero verde, com doze borlas de igual cor, simboliza a condição episcopal, e, no número 12, o Colégio Apostólico a que sucede o Episcopal. A cruz pastoral, gemada, típica da arte cristã antiga e medieval, símbolo do grande paradoxo: o instrumento da execução de Nosso Senhor se transformou no sinal de seu amor triunfante. Da cruz Ele reina, a cruz é a cátedra do Bispo. É súplica de manter a esperança e ser livre do medo.

O Lema, tomado do livro do Apocalipse – “Por causa [da Palavra de Deus e] do Testemunho de Jesus” é dado por motivo do exílio do Apóstolo São João (1,9) e do martírio dos discípulos de Cristo (20,4).

Expressa a fidelidade mantida até o derramamento do sangue. Ensina a ler a história à luz do que se cumpriu na morte e ressurreição do grande Mártir e Testemunha, Jesus, o Cordeiro imolado que permanece de pé (5,6), que tem o poder de abrir o livro da História e pronunciar sobre ela a palavra última e definitiva. Manifesta o escopo do ministério sagrado: servir ao anúncio de Jesus Cristo e do Reino de Deus, testemunhando sua presença amorosa e salvadora.