Colunistas

Relembrando

“Chamas da Vida” foi a concorrente direta de “Pantanal”

06/11/2020 08H56

Foto: A história de “Chamas da Vida” começou quando o soldado-bombeiro Pedro (Leonardo Brício) salva a produtora Carolina (Juliana Silveira) de um incêndio criminoso e ao mesmo tempo perde o seu amigo de infância, Wallace (Rodrigo Faro) / Michel Ângelo

Enquanto a Record apostava em uma trama inédita, o SBT reprisava o grande sucesso da extinta Rede Manchete

Ação, humor e muito romance marcaram “Chamas da Vida”. A trama central partiu do encontro do soldado-bombeiro Pedro (Leonardo Brício) com a produtora Carolina (Juliana Silveira). Os dois viviam em “mundos diferentes”: ela era rica e morava na Urca, no Rio de Janeiro, enquanto ele vivia em Tinguá, região da Baixada Fluminense, e tinha que se virar para cuidar dos três irmãos, já que muito cedo eles ficaram órfãos. A dupla se conheceu na infância e perdeu contato, apesar do pai de Carolina, Walter (Antonio Grassi) ter uma fábrica em Tinguá. O reencontro aconteceu de forma inusitada: durante uma ação do Corpo de Bombeiros. Walter fazia um churrasco na Fábrica de Sorvetes para todos os funcionários para comemorar a expansão de seu negócio. O clima era de festa até que fogos de artifício estouram para todos os lados, resultado de uma brincadeira de mau gosto de Antônio (Dado Dolabella). Várias pessoas são atingidas e o Corpo de Bombeiros de Tinguá é acionado. Pedro, Guilherme (Roger Gobeth), Cazé (Milhem Cortaz), Junior (Gabriel Gracindo) e Wallace (Rodrigo Faro) entram em ação para combater o fogo. Carolina filma tudo o que está acontecendo e até arrisca sua vida. Pedro a tira do local carregada sobre os ombros, enquanto ela se debate. A hostilidade é cortada quando Vó Tuquinha (Íris Bruzzi) os apresenta. Carolina e Pedro se encantam um pelo outro. É assim que começou a história de “Chamas da Vida”. É claro que o caso de amor dos protagonistas só teve um final feliz no último capítulo da trama.

“Chamas da Vida” foi exibida pela Record, de 08 de julho de 2008 a 28 de abril de 2009, totalizando 253 capítulos. Foi escrita por Cristianne Fridman e teve direção geral de Edgard Miranda. Sendo exibida no mesmo horário no qual o SBT mostrou a reprise de “Pantanal”.

Em 2015 foi ao ar pelo canal Investigação Discovery contando com um final diferente da original, onde Tomás (Bruno Ferrari) era o incendiário em vez de Léo (Rafael Queiroga). No mesmo ano foi exibida nas tardes da Record, só que desta vez, o final foi o mesmo que foi exibido pelo Investigação Discovery.