Umuarama

Saúde

Atendimento de pessoas com disfunções respiratórias cresce 99% em Umuarama

04/05/2020 12H00

Seguindo os números nacionais, as notificações em Umuarama de pessoas com sintomas gripais em 2020 vem crescendo desde março. Se comprado com os dados de 2019 de doenças do aparelho respiratório – notificados no sistema de saúde do município – o crescimento de atendimento é de 99%.

Conforme os dados repassados pela Secretaria Municipal de Saúde, retirados do DataSus, em 2019 foram 66 internamentos de pessoas com doenças do aparelho respiratória no mês de março e no mês de abril 91 internamentos, totalizando 157 casos. Os meses com maior fluxo de pessoas buscando hospitais da cidade com problemas respiratórios foi entre junho e setembro, sendo que de março até setembro foram 582 atendimentos.

No boletim diário do coronavírus, liberado diariamente pela Prefeitura de Umuarama, os números de casos notificados de pessoas atendidas com sintomas gripais começou a crescer exponencialmente no dia 29 de março e até o dia 1º de maio 309 pessoas foram atendidas. Dos pacientes notificados, 210 foram descartados para coronavírus.

Nas duas últimas semanas de abril, conforma o boletim municipal, foram 64 novos casos de suspeitos para coronavírus em acompanhamento de sintomas gripais, além de uma morte de uma mulher de 61 anos e a confirmação de sete casos no município.

Leitos coronavírus

A preocupação de todo o sistema de saúde do Brasil e a baixa quantidade de leitos para atendimento de pessoas com suspeitas de Covid-19, em relação a taxa crescente de casos. Conforme dados da 12ª regional de Saúde de Umuarama, a regional possui 44 leitos de UTI adulto, seis leitos de UTI pediátricos e 15 leitos de UTI neonatal e destes 10 leitos de UTI para atendimento exclusivo de Covid-19 na Uopeccan.

Ainda existem 34 leitos a serem habilitados (22 Hospital Cemil, 10 Instituto Nossa Senhora Aparecida e 2 Norospar).

Na Macrorregião Noroeste (Campo Mourão, Cianorte, Maringá, Paranavaí e Umuarama) possui 105 leitos de UTI adulto, 11 pediátricos e 280 de enfermarias exclusivas para COVID-19.

FIOCRUZ

No site da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz ), o relatório do sistema InfoGripe, relativo à semana epidemiológica 17 (19 a 25 de abril), destacou uma tendência de aceleração no crescimento das internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Todas as regiões do país seguem na zona de risco e com atividade semanal alta para SRAG, com predominância de 77,5% do novo coronavírus entre os casos que já tiveram um resultado laboratorial positivo.

Segundo o boletim, até o dia 26 de abril, o Brasil teve um total de 44,7 mil notificados. Mas com a previsão de atraso, de acordo com a metodologia desenvolvida pela plataforma, a estimativa é que este total atualizado seja de 62,6 mil, com um intervalo de confiança de 55 mil a 75,4 mil.

Os números oficiais superam os totais de notificações de anos anteriores, como 2019 e 2016. Em 2019, o total de casos foi 39,4 mil, com 3,8 mil óbitos. O ano de 2016 teve 39,8 mil notificações por SRAG, que é caracterizada por internações por sintomas como tosse, febre e dificuldade respiratória, e 4,7 mil óbitos pelos mesmos sintomas.

Estes dados são de notificação obrigatória para unidades de saúde, mas historicamente existe uma atraso na inserção de dados, especialmente em momentos de surtos. Para tentar prever este atraso, o InfoGripe desenvolveu um modelo matemático de estimativas.