Luís Irajá Nogueira

CINEMA, SAÚDE E DIREITO

Livro reúne coletânea de artigos que aborda o cinema sob a óptica da saúde e do direito

02/01/2021 13H37

Umuarama – Lançado pela editora Zakarewicz, a obra “Cinema, Saúde e Direito” reúne uma coletânea de artigos que relacionam a sétima arte com a saúde e o direito.

No total são 29 artigos escritos por estudiosos do Direito e que contaram com a coordenação da professora e advogada Tereza Rodrigues Vieira, PhD em Direito pela Université de Montreal, no Canadá, mestre e doutora em Direito pela PUC-SP e Université de Paris, especialista em bioética pela Faculdade de Medicina da USP, São Paulo, docente do Mestrado em Direito Processual e Cidadania e dos cursos de Medicina e Direito da Universidade Paranaense (Unipar).

Até o Último Homem

Entre os artigos, está o do colunista do Jornal Umuarama Ilustrado, o advogado e professor em Direito Civil da Unipar Luís Irajá Nogueira de Sá Júnior, que aborda a importância do respeito a objeção de consciência e a liberdade religiosa tendo como pano de fundo o premiado filme “Até o Último Homem” (2016).

A obra narra a história verídica do americano Desmond Doss, que sofreu discriminação e perseguição de colegas e superiores hierárquicos e chegou a ser processado pelo Exército Americano por não abrir mão de suas convicções religiosas e morais.

Salvar vidas

Ele queria lutar na Segunda Guerra Mundial, mas se recusava a pegar em armas e não lutava ou treinava aos sábados. Queria ser médico e salvar vidas. Doss pertencia a congregação da Igreja Adventista do Sétimo Dia e sua determinação o fez salvar mais de 70 homens feridos em campo de batalha e já dados como mortos por seus superiores, após uma sangrenta luta contra os japoneses.

Objeção de consciência

“O artigo aborda os aspectos bioéticos sobre o respeito as convicções morais e religiosas das pessoas, principalmente dos Adventistas do Sétimo Dia que guardam os sábados”, afirmou Irajá. O professor salienta que no Brasil a Constituição Federal (CF) assegura a todos o direito a crença religiosa e a se opor a determinadas situações que destoam de suas convicções pessoais e religiosas. Pela CF de 1988, o Brasil é um País laico, ou seja, sem uma religião oficial, e todas as crenças podem ser praticadas e devem ser respeitadas por todos.

Essa foi a terceira obra coordenada pela PhD Tereza Rodrigues Vieira que o professor Luís Irajá Nogueira de Sá Júnior colaborou. As outras duas são: Bioética e Cinema (Miraluz, 2016/2017) e Transgêneros (Zakarewicz, 2019).

Serviço

Cinema, Saúde e Direito

Ed. Zakarewicz, 2020

Valor a partir de R$ 60 na Amazon

FOTO PLAY

O advogado e professor de Direito Civil Luís Irajá Nogueira de Sá